Conae debate rumos da educação brasileira para próximo decênio

Brasília-DF, segunda-feira, 22 de abril de 2024


Brasília, terça-feira, 30 de janeiro de 2024 - 18:45      |      Atualizado em: 6 de fevereiro de 2024 - 12:11

Conae debate rumos da educação brasileira para próximo decênio

Reunidos em plenárias, professores, auxiliares e técnicos, entidades e representantes do governo analisaram e discutiram sobre desafios e propostas para mais igualdade e sustentabilidade no setor

Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

O SAEP esteve presente à edição 2024 da Conae (Conferência Nacional de Educação). Profissionais de educação, entidades representativas e autoridades de todo o País estiveram reunidos, de sábado (28) a terça-feira (30), no Campus da UnB (Universidade de Brasília), para participar do evento.

“A retomada da Conae nos mostra o retorno do debate sobre a educação brasileira, depois de mais de 6 anos sem as discussões sobre o tema”, chamou atenção a presidente do SAEP, Maria de Jesus da Silva.

A recomposição do FNE (Fórum Nacional de Educação) em 64 entidades se deu por meio da Portaria/MEC 478, de 17 de março de 2023. Foi nesse contexto que o FNE, que promoveu essa edição extraordinária da Conae, em 3 dias de debates importantes para os próximos 10 anos.

“Foram aprovados temas fundamentais para a educação brasileira. Discutimos pontos como a regulamentação do EaD [Ensino à Distância]. Temas que são foco da atenção do SAEP”, completou a presidente.

Os debates sobre os rumos da educação brasileira foram interrompidos durante os governos Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL). Sob Temer, foi promovida a contrarreforma da educação, que resultou em maior desestruturação do ensino no País, em particular o público. Por isso, a realização da Conferência é passo importante o resgate do diálogo sobre esse relevante tema, com educadores e estudantes.

A Conae também foi a oportunidade para discutir o NEM (Novo Ensino Médio), que está previsto na Lei 13.415/17, mas segundo o MEC (Ministério da Educação) não tem apoio de educadores e estudantes.

A implementação do NEM está suspensa desde abril de 2023. Uma das críticas ao modelo é que esse foi aprovado, por meio da MP (Medida Provisória) 746/16, o que reduziu o tempo de debate com a sociedade brasileira.

 

Social e sustentável
O tema central dos debates da Conae 2024 foi o “Plano Nacional de Educação (PNE) 2024-2034: Política de Estado para garantia da educação como direito humano com justiça social e desenvolvimento socioambiental sustentável”.

Para facilitar abordagens amplas, a Conferência foi organizada em 7 eixos temáticos. O objetivo foi o de promover análise detalhada sobre problemas, causas, objetivos, diretrizes, metas e estratégias para a educação no próximo decênio. 

Ao fim das discussões, o FNE irá elaborar o documento com o Plano Nacional de Educação pensado para o período. O PNE 2024-2034 será entregue ao MEC até o fim do primeiro semestre de 2024.

 

Mais diálogo
Na abertura da Conae 2024, o ministro da Educação, Camilo Santana, falou sobre a importância da reconstrução da pasta, com aplicação de recursos, planejamento e investimento nos professores. E reforçou a importância de, por meio da comunicação, proporcionar serviços de qualidade.

“Ninguém constrói nenhuma política pública sem diálogo, sem ouvir, sem escutar”, enfatizou o ministro ao relatar a recriação do FNE e de comissões internas do MEC voltadas à educação ambiental, indígena, quilombola, especial, de jovens e adultos, e que já atuam com a participação de mais de 200 entidades na construção das políticas públicas para educação.

O ministro ainda defendeu a importância do fortalecimento das relações federativas entre União, estados e municípios, executores dessas políticas, além de ouvir estudantes e professores.

Heleno Araújo, coordenador do FNE, ao discursar, destacou o sucesso das mais de 1.300 conferências prévias, realizadas ao longo de 2023, no âmbito do FNPE (Fórum Nacional Popular de Educação). Os encontros funcionaram como preparativos para a Conae 2024. 

Durante as plenárias de eixo e a plenária final da Conae, foram discutidas e deliberadas sobre 8.651 emendas recebidas em relação ao documento-referência do PNE. O texto já havia sido amplamente discutido e aprovado nas etapas preparatórias, como lembrou o coordenador, que acrescentou:

“Desse consistente debate resultarão propostas sólidas e consequentes de políticas educacionais, subscritas pelos segmentos e setores que atuam na educação básica, profissional e superior pública e privada, que atuam em todo País. Um plano que reflita as nossas condições sociais, históricas e culturais e que ofereça meios e instrumentos viáveis para efetivação do pleno direito da educação para todas as pessoas que vivem neste País”, afirmou.

 

Ato da Contee
Também presente no evento, a Contee (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino) realizou ato em defesa da regulamentação do ensino privado. Para o coordenador-geral da entidade, Gilson Reis, a Conae marcou a retomada do debate sobre a educação brasileira, direcionada ao tema da regulamentação do ensino privado.

“Há uma ampla unidade em torno da necessidade da regulamentação da educação privada brasileira. Que a gente possa construir uma educação com base naquilo o que define a Constituição Federal brasileira. Com base na regulamentação é que nós vamos garantir uma educação de qualidade e regulada, a partir de conceitos que possam ajudar a uma formação de qualidade para nossa juventude”, afirmou.

 

Colóquios diversificados
No evento, houve 7 Colóquios que apresentaram, na segunda-feira (29), subtemáticas para o Eixo 1: “O PNE como articulador do Sistema Nacional de Educação, sua vinculação aos planos decenais estaduais, distritais e municipais de educação, em prol das ações integradas e intersetoriais, em regime de colaboração interfederativa”.

O Eixo 2 concentrou 8 subtemáticas relativas “À garantia do direito de todas as pessoas à educação de qualidade, com acesso, permanência e conclusão, em todos os níveis, etapas e modalidades, nos diferentes contextos e territórios”.

“Educação, Direitos Humanos, Inclusão e Diversidade - equidade e justiça social na garantia do direito à educação para todas as pessoas e o combate às diferentes e novas formas de desigualdade, de discriminação e da violência” foi o tema central do Eixo 3. O bloco foi subdividido em 5 subtemáticas.

Outros 6 Colóquios foram dedicados à análise sobre “Gestão democrática e educação de qualidade - regulamentação, monitoramento, avaliação, órgãos e mecanismos de controle e participação social nos processos e espaços de decisão”, no Eixo 4.

No Eixo 5, foram discutidos 5 subtemas referentes à “Valorização de profissionais de educação - garantia do direito à formação inicial e continuada de qualidade, ao piso salarial e carreira e às condições para o exercício da profissão de forma segura e saudável”.

No Eixo 6 foram 3 subtemas sobre “Financiamento da educação pública, com controle social e garantia das condições adequadas para a qualidade social da educação, com vistas à democratização do acesso e da permanência”.

Por fim, em mais 5 Colóquios, os participantes puderam debater sobre o tópico do Eixo 7: “Educação comprometida com a justiça social, a proteção da biodiversidade, o desenvolvimento socioambiental sustentável para garantia de uma vida com qualidade e o enfrentamento das desigualdades e da pobreza”.

Nesta terça-feira, o encerramento da Conae 2024 contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), apresentações culturais, como a da pianista Ana Ferreira e do grupo Bumba Meu Boi - Cia ArtCum.  Os coordenadores das plenárias de cada 1 dos 7 eixos temáticos relataram as propostas e considerações finais a serem reunidas pelo FNE no documento final do PNE 2024-2034.









Últimas notícias

Notícias relacionadas



REDES SOCIAIS
Facebook Instagram

Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar em Estabelecimentos Particulares de Ensino no Distrito Federal

SCS Quadra 1, Bloco K, Edifício Denasa, Sala 1304,
Brasília-DF, CEP 71398-900 Telefone (61) 3034-8685
recp.saepdf@gmail.com