Terça-feira de luta contra a Reforma Trabalhista em Brasília

Brasília-DF, terça-feira, 17 de outubro de 2017


Brasília, segunda-feira, 26 de junho de 2017 - 12:18      |      Atualizado em: 4 de setembro de 2017 - 14:23

LUTAS

Terça-feira de luta contra a Reforma Trabalhista em Brasília


Fonte: www.portalctb.org.br

Amanhã, a partir das 6h da manhã, no aeroporto de Brasília, começa a agitação contra a reforma trabalhista. A ideia é abordar os parlamentares que chegam na capital federal para afirmar a posição dos trabalhadores e trabalhadoras contra a proposta de supressão dos direitos da classe trabalhadora e ataque a organização sindical.

Rice

Equipes de dirigentes sindicais estão sendo mobilizadas para permanecer no aeroporto, enquanto outros sindicalistas irão para o Senado conversar com os senadores, em especial, os membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), para que votem contra a proposta do Planalto.

O PLC 38/2017 da reforma trabalhista chega a uma fase crucial da tramitação no Senado. O tema chegou a Comissão de Constituição e Justiça e o relatório de Romero Jucá (PMDB/PE) foi lido na última quarta-feira (21).

O relatório apresentado pelo líder de Temer no Senado, senador Jucá, deveria analisar a constitucionalidade do tema, mas fez uma abordagem de análise de mérito, contrariando o seu papel na CCJ e tentando impor sua agenda que pretende rasgar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Com a pressão dos parlamentares da oposição, garantiu-se que nesta terça-feira (27) durante todo o dia, serão realizadas duas audiências públicas, uma pela manhã e outra pela tarde, com o intuito de ouvir especialistas em legislação constitucional, para avaliarem o PLC 38. A votação está prevista para acontecer na quarta-feira (28) na CCJ. O seguimento será a votação no Plenário da Casa.

Rejeição ao PLC 38/2017 é de 95,78%

A página do Senado Federal, através do e-Cidadania, realizou uma consulta pública. Até a última sexta-feira (23), a página computava uma imensa rejeição a reforma trabalhista. Votaram 135,2 pessoas. Destas, 129,5 mil (95,78%) se manifestaram contra a proposta de Temer. Somente 5,7 mil (4,22%) votaram favoráveis ao PLC 38.

Ecoar no Senado a voz dos trabalhadores vinda das ruas

A votação do tema na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), quando a oposição e os trabalhadores impuseram uma derrota a Temer, demonstra que a força da classe trabalhadora, vinda das grandes manifestações, pode ecoar no Congresso Nacional, para derrubar a reforma trabalhista, tanto na CCJ, quanto no Plenário.

Por isso, a vigília no Senado, a pressão aos senadores nos estados para convencê-los a votar em favor da classe trabalhadora e denunciar os parlamentares que se posicionam contra os trabalhadores e trabalhadoras é fundamental.

Empenhar todos os esforços para realizar uma gigantesca greve geral do dia 30 de junho é tarefa prioritária para que a voz da classe, advinda das ruas, ecoem no Congresso Nacional e derrubem a reforma que pretende acabar com direitos trabalhistas.









Últimas notícias

Notícias relacionadas



REDES SOCIAIS
Facebook

Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar em Estabelecimentos Particulares de Ensino no Distrito Federal

Ed. Venâncio IV, Sala 403, 4° andar - Setor de Diversões Sul - CONIC
Brasília/DF - CEP: 70300-000
Telefone: (61) 3034-8685 - Fax: (61) 3034-8688
sec.saepdf@gmail.com